Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Culto aniversário Bispo Nelson

 

Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Salmo 103.1

 

            Foi em espírito de profunda gratidão que pastores(as), leigos(as) e bispos da Igreja Metodista reuniram-se no Espaço Metodista 24 horas, em São Paulo, para celebrar o aniversário do bispo Nelson Luiz Campos Leite, 70 anos completados no dia 13 de agosto - e já comemorados desde o início do ano, segundo nos conta dona Elci, esposa do bispo Nelson. "Quando se chega aos 70, você sabe que já está no alto do tobogã. Depois é só queda!" - disse, bem humorado. "Mas chego aos 70 sem crise, ao contrário, me vem uma grande alegria, um grande júbilo de estar com minha família". E família, para o bispo Nelson, inclui toda a comunidade de fé que o tem acompanhado em todos esses anos de ministério. Por isso, além da celebração no Espaço Metodista, que reuniu muitos amigos e amigas dos tempos de seminário,  o bispo também marcou um culto de aniversário na Igreja Metodista no bairro paulista de Vila Mariana, para ter junto de si a comunidade laica que tem apoiado seu ministério pastoral e episcopal.

            No Espaço Metodista 24 horas, a celebração foi singela e afetiva como o aniversariante. Os irmãos e irmãs presentes assistiram a uma apresentação de fotos que falavam de diferentes momentos da vida do bispo, em meio à sua família, amigos(as) e as diversas igrejas por onde passou. Não faltaram fotos do bispo Nelson em duas atividades nas quais ele é "craque": no jogo de boliche e tocando bateria.

   

O bispo Adriel presenteou o colega de ministério com um acróstico formado pelas iniciais do nome Nelson Leite, cada letra iniciando um versículo bíblico:

          

Na minha angústia, invoquei o Senhor, gritei por socorro ao meu Deus. Ele do seu templo ouviu a minha voz, e o meu clamor lhe penetrou os ouvidos. (Sl 18. 6)

Espere pelo Senhor, tem bom animo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor. (Sl 27. 14)

Louvem-te os povos, ó Deus, louvem-te os povos todos. A terra deu o seu fruto, e Deus, o nosso Deus, nos abençoa. Abençoe-nos Deus, e todos os confins da terra o temerão (Sl 67. 3.6 e 7).

Salmodiai e fazei soar o tamboril, a suave harpa com o saltério. Tocai trombeta na festa da Lua Nova, na lua cheia, dia da nossa festa (Sl 81.2-3).

O pardal encontrou casa, e a adorinha, ninho para si, onde acolha os seus filhotes; eu, os teus altares Senhor dos Exércitos, Rei meu e Deus meu! (Sl 84.3)

Não há entre os deuses semelhante a ti, Senhor; e nada existe que se compara a ti, Senhor. (Sl 86.8)

 

Lembrou-se da sua misericórdia e da sua fidelidade para com a Casa de Israel, todos os confins da terra viram a salvação do nosso Deus. (Sl 98.3)

Ele fez memoráveis as sua maravilhas; bendito e misericordioso é o Senhor. Dá sustento aos que temem; lembrar-se-á sempre da sua aliança. (Sl 111. 4-5).

Inclina-me o coração aos teus testemunhos e não a cobiça (Sl 119.36). 

Tu és o meu Deus, render-te-ei graças, tu és o meu Deus, quero exaltar-te. Rendei graças ao Senhor, porque ele e bom, porque a sua misericórdia dura para sempre. (SL 118.28-29)

Ensina-nos a contar os nossos dias para que alcancemos coração sábio. (Sl 90.12)

 

 

  Outro presente foi o coral formado por amigos(as) de longa data, sob a regência do maestro Roberto Machado:  "Tem gente aqui que ensaiou há 40 anos", brincou o pastor Társis Prado. O que não impediu que as vozes pudessem se harmonizar lindamente, entoando cânticos "da década de 50". 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Cânticos mais atuais ficaram por conta do Ministério Toque de Poder, que conduziu os momentos de louvor e adoração.  A mensagem foi proferida pelo próprio aniversariante, que falou sobre o Salmo 116.12): "Que darei ao Senhor por todos os seus benefícios para comigo?"

   

O bispo lembrou-se de muitos momentos em sua vida em que Deus o sustentou e fortaleceu. "Passei vários momentos de grande dificuldade e agradeço a Deus por todos eles. Tive momentos de muita luta, mas a força do Senhor é a minha força".

O bispo destaca que um dos momentos mais marcantes ocorreu ainda na juventude, quando servia o Exército e ficou três meses e meio internado. Achou que ia morrer e chegou a escrever o próprio epitáfio. Queria que seu túmulo tivesse a seguinte inscrição: "Quando fui bom, foi Deus. Quando fui mal, fui eu". Depois deste momento de dificuldade, muitos outros viriam. O último é bem recente. O bispo Nelson acabou de se submeter a uma cirurgia e ainda está em processo de recuperação. Mas ele segue olhando em frente, celebrando a vida e colocando-se nas mãos de Deus. "Depois dos 70, espero que Deus me oriente, que aponte o que quer de mim. Não quero viver para mim. Sei que sou humano; não somos anjos, temos virtudes e fraquezas. Mas quero seguir trabalhando. Prefiro fazer errando do que não fazer nada. Peço a Deus a vocês perdão pelos erros, mas agradeço porque, pela sustentação dEle, no fôlego do Espírito Santo, Ele pode guiar os meus passos, mostrando o caminho. A Igreja como instituição é frágil, é falível. Como corpo burocrático ela tem que ser a mais simples e ágil possível. E como Corpo de Deus deve ser a mais santa, a mais quebrantada, a mais sensível ao Espírito de Deus. A Deus toda honra, louvor e glória. Amém!"

   Momento final com seus familiares

Suzel Tunes


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães