Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

juname conselheiros

 
Fizemos três perguntas a conselheiros e lideranças de juvenis metodistas:
1) Vocês acham que os juvenis têm encontrado espaços de ação e acolhimento na Igreja Metodista?
2) O que a Igreja Metodista poderia ou deveria fazer para promover a "vida abundante" junto a sua mocidade e para atingir os jovens de fora da Igreja? 
3) O que os juvenis podem fazer pela Igreja Metodista?
Veja quais foram as respostas e se você quer dar a sua opinião também, escreva para o e-mail expositor@metodista.org.br
 
Ivan Silveira Filho e Sandra Regina Del Colle Silveira, conselheiros da 6ª RE:

1) Vocês acham que os Juvenis têm encontrado espaços de ação e acolhimento na Igreja Metodista?

Isto tem variado de uma Igreja local para outra, que dá ênfase e importância ao trabalho com a mocidade. Cremos que não há resistência ao desenvolvimento deste ministério, pois na Igreja Metodista, uma Igreja de Dons e Ministérios, tem lugar para todos as faixas etárias. No entanto, temos que buscar, insistir e perseverar no dom que há em cada um de nós. Há quem diga : "Vocês não conhecem a realidade da minha Igreja", mas podemos encorajá-los a prosseguir, pois não podemos nos acomodar, porque em todos os trabalhos temos dificuldades, e o ser humano infelizmente só apoia aquilo que lhe dá vantagens e no que está engajado. O trabalho com juvenis é um trabalho lento, silencioso, de bastidores. O espaço existe porque a Igreja existe e isso é fundamental. Às vezes o próprio juvenil não dá espaço para que a comunidade se achegue a ele, ficando acomodado no seu lugar. A diversidade de ministérios não pode criar em  nós a sensação de que um é melhor que o outro e que um está mais assistido ou reconhecido que o outro. Temos que caminhar na certeza de que Deus vai nos entusiasmando hoje,l evantando amanhã e dando a cada dia novas estratégias para animar o trabalho. E nosso juvenis hoje serão missionários, pastores, leigos segundo o coração de Deus, no futuro.

2) O que a Igreja Metodista poderia ou deveria fazer para promover a "vida abundante" junto à sua mocidade e para atingir os jovens fora da igreja?

A Igreja sempre foi e será um lugar de vida abundante. A Igreja é o melhor lugar para o juvenil, jovens, para todas as pessoas.Temos que falar, não podemos esconder só para nós este beneficio.A Igreja precisa capacitar seu povo em geral à evangelização e ao discipulado.Os juvenis às vezes se apresentam acanhados, envergonhados, mas quando se juntam com os outros em comunhão esta barreira cai e se tornam fortes, criativos e corajosos. A Igreja precisa orar para que Deus levante pessoas com o coração neste ministério, ou seja, conselheiros e conselheiras. Existe um código que criamos, e tem sido uma benção, que chamamos de 4 P ( Pais, Pastor, Povo de Deus e Pai celeste). Com este apoio o trabalho cria expressão dentro da Igreja, porque são fatores de benção e autoridade sobre os juvenis, e que nos impulsionam. É um desafio para a Igreja, pois temos que tratá-los com muito amor, com paciência e respeito.

3) O que os juvenis podem fazer pela Igreja?

Os juvenis podem fazer pela Igreja o que Jesus faz. Jesus ama a Igreja, ele intercede por ela e caminha no meio dela e com ela. Ele está presente na Igreja. Às vezes a Igreja não intensifica o trabalho com os juvenis porque ele estando na igreja ele é percebido, porque ele faz a diferença. O Juvenil precisa ter um encontro com Jesus e estar face a face com ele. Ele pode fazer parte de outros ministérios, não só do louvor. Existem igrejas locais nas quais os ministérios são sustentados por juvenis. O juvenil sabe criar, e certamente encontrará muito o que fazer pela Igreja, que é viva, é alegre e caminha acertando, errando, corrigindo, aprendendo, assim como ele, e certamente chegarão vitoriosos.

 

Pr. Jader Renato Rosa dos Santos - conselheiro dos juvenis na 2ª Região Eclesiástica.

1) Você acha que os Juvenis têm encontrado espaços de ação e acolhimento na Igreja Metodista?

A experiência que tenho com os juvenis me diz que sim, os juvenis têm encontrado espaço de ação e acolhimento na Igreja, mas penso que o espaço ainda é muito pequeno.

Os principais desafios encontrados na Igreja em relação a mocidade, eu diria que são pelo menos três:

1º - Valorizar mais a espiritualidade desses meninos e meninas. Muitas vezes pensamos que eles/elas só querem brincadeiras, quando na verdade estão procurando algo que dê mais significado e respostas às suas ansiedades e questionamentos;

 2º - Abrir mais oportunidades para a participação dos cultos na Igreja, incentivando-os, desta forma, desenvolver ações que facilitem o seu crescimento espiritual;

3º - A liderança adulta da igreja precisa ser mais tolerante e entender que a faixa etária é bastante dinâmica e que muitas vezes eles não querem ficar apenas sentadas escutando, querem algo com mais movimento.

2)O que a Igreja Metodista poderia ou deveria fazer para promover a "vida abundante" junto à sua mocidade e para atingir os jovens de fora da Igreja?

É sem dúvida um grande desafio, mas precisa ser feito mais atividades onde se possa desenvolver práticas equilibradas, isto é, onde a parte recreativa e esportiva não interfiram na busca de Deus e uma espiritualidade sadia que leve a um comprometimento com a obra de Deus. Quando a juventude ora e têm uma prática de oração dentro da igreja, ela recebe de Deus o poder que é necessário para influenciar e trazer os de fora para dentro da igreja, infelizmente tem acontecido o contrário, nossos jovens e juvenis têm sido influenciado pelo mundo. Percebemos isto quando fizemos uma pesquisa e percebemos que os filhos dos metodistas têm abandonado a igreja.

3)O que os juvenis podem fazer pela Igreja Metodista?

Creio que esta resposta pode ser a mesma que dei para a pergunta anterior. Eu tenho muita esperança na juventude comprometida, que infelizmente ainda é muito reduzida, mas "o pouco com Deus é muito!". Como conselheiro dos juvenis em minha região (2ª RE), busco incentiva-los a buscar orientação de Deus para suas vidas, e que esta busca precisa ser com a orientação de seu/sua pastor/a e ou pai e mãe, ou ainda alguém da igreja que tem tido experiência com Deus.

Nosso maior exemplo é Jesus Cristo. E Ele com apenas doze anos de idade é encontrado junto aos doutores da lei, e diz a palavra de Deus em Lucas 2:47..."E todos os que o ouviam muito se admiram da sua inteligência e das suas respostas."

 

Paulo Roberto Lopes de Almeida Jr (Juninho), presidente de Juvenis da 3ª RE

1) Você acha que os Juvenis têm encontrado espaços de ação e acolhimento na Igreja Metodista?

Não, após um ano na presidencia da federação de juvenis da 3ª região, chego à conclusão que não temos apoio suficiente para promover o que queremos, às vezes não nos levam a sério, não sei o por quê, sendo que temos demonstrado acima de tudo seriedade, muito compromisso e principalmente amor pela causa.

2) O que a Igreja Metodista poderia ou deveria fazer para promover a "vida abundante" junto à sua mocidade e para atingir os jovens de fora da Igreja?

Deveria investir mais nas federações, e através dessas os distritos e as igrejas locais. Investir mesmo, com recursos financeiros, humanos, material, moral e pastoral.

3) O que os juvenis podem fazer pela Igreja Metodista?

Nós podemos fazer muito, basta acreditar em nosso trabalho, e investir nele, vivemos um momento que nem tudo se resolve com doações, é preciso investir, temos sentido isso nas nossas programações regionais, a falta de interesse por parte da região.

 

 


Posts relacionados

Geral, por Sara de Paula

Em oração | 03.07.2020

“...porque sem mim nada podeis fazer.” - João 15:5b. Com o objetivo de mobilizar pessoas a orarem semanalmente e diariamente pelos propósitos selecionados pela área nacional da Igreja Metodista, te convidamos a participar da campanha EM ORAÇÃO. Confira os pedidos dessa semana. 

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães