Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Um domingo de visitas às Igrejas Metodistas

Por José Magalhães

Na foto acima, o Coral da Igreja Metodista em Campos do Jordão.

É hora de colocar o aprendizado em prática! Neste domingo (22) todos os congressistas saíram pela manhã com destino a 15 Igrejas Metodistas. As mais distantes foram de Santos e Campos do Jordão.  Praticamente em todas as visitas tinha cerca de 10 a 12 congressistas com a presença de dois americanos para cada igreja. As atividades eram a participação na Escola Dominical, evangelismo a tarde e culto à noite.
Para Campos do Jordão, a comitiva que saiu do Hotel às 7h30 foi representada somente por pastores das seguintes regiões: dois representantes da 4ª, um da 1ª, dois da REMA, três da 3ª, e dois dos Estados Unidos. Eles chegaram à igreja em Campos do Jordão às 10h e, após participar do culto com a comunidade se dirigiram para o salão social para o almoço preparado pelo ministério de evangelização. 
Os pastores saíram à tarde para visitar o Ponto Missionário em Vila Santo Antônio.  Na ocasião o pastor Marcelo (pastor em Campos do Jordão) compartilhou o desafio de reabrir o Ponto Missionário em fevereiro deste ano. Ele contou que aquele espaço é próprio da comunidade, mas também é desafiador pelo fato de ter ficado fechado por vários anos. Atualmente acontece um culto por semana: às sextas-feiras. Após um compartilhar de experiências dos pastores presentes em suas respectivas igrejas e estratégias missionárias houve um momento de oração pela missão naquele lugar e, também para que as “sementes” ali plantadas possam cair em boa terra.

Na esquerda os pastores: Gilson (1a RE), Marcelo (3a) e Paulo Garcia (3a). Na esquerda o Ponto Missionário

Ao sair dali a comitiva foi conhecer alguns pontos turísticos da cidade, mas às 16h30 um novo compromisso! Sair pelas proximidades da igreja para evangelização distribuindo Novos Testamentos doados pela Sede Nacional da Igreja Metodista e folhetos evangelísticos convidando às pessoas para o culto às 19h. De dois em dois, os pastores saíram em busca das ovelhas perdidas da casa de Israel. Os juvenis da comunidade local também estiveram às ruas fazendo o trabalho de evangelização.
O pregador da noite foi o americano Rev. Chad Waltkins que teve sua prédica embasada em Ezequiel 47.1-12. O pastor enfatizou o rio na visão do profeta Ezequiel. No texto, o autor menciona quatro estágios da água no corpo do profeta: tornozelos, joelhos, cintura e sobre a cabeça. Para Chad, quando as águas estão no tornozelo ou joelho é muito fácil de sair do rio de Deus, portanto, diz ele, “é preciso mergulhar nas profundezas de Deus. Todos estão no mesmo rio. Onde as águas estão ‘batendo’ em você? Não se pode ficar à margem. Deus quer usarmos em águas profundas e o caminho das águas profundas é o altar" disse desafiando às pessoas e visitantes à entregarem suas vidas aos cuidados de Jesus.

O "Sim" de Deus - Sábado 21

Por José Magalhães

 Ontem, 21, aconteceu no Espaço Metodista 24h, o culto Evangelístico com a participação de membros de várias Igrejas. Na ocasião, evangelistas, pastores e pastoras realizaram às 15h, nas proximidades da Rua Major Diogo, o evangelismo pessoal convidando pessoas para o culto da noite às 19h30. A mensagem com o Dr. Eddie Fox (na foto acima a direita, e o intérprete, Dr. L. Wesley de Souza à esquerda) impactou várias pessoas que visitaram e decidiram entregar suas vidas à Jesus.

Fox leu o texto de II Co 1.18-22 e enfatizou em sua mensagem que “em Cristo Jesus, todas as promessas de Deus tem um sim anexado. Eu não prego para uma decisão, Deus é quem decidiu e a resposta é sim. Não votamos isso nos Concílios Gerais, essa parte não é negociável”. Com seu jeito bem humorado, Fox contou a seguinte parábola:

“Três caipiras iam para um Seminário e quando chegaram ao hotel não tinham suas reservas. Mas como? Eles pagaram antecipado e não realizaram suas reservas? Eles falaram, então, com o gerente do hotel. A organização do seminário chegou seguinte conclusão: ‘vamos colocar esses três caipiras na Suíte Presidencial’, que ficava no 50º andar. Na suíte eles encontraram, TV’s grandes, lustres, comida de toda qualidade, banheiros com hidromassagem... Não conformados, eles ligaram para as esposas e disseram: ‘nós estamos bem. Estamos na Suíte Presidencial’. 

Depois que ligaram para as esposas, eles resolveram sair para dançar e se divertirem na noite. Ao retornarem ao hotel, o porteiro disse aos caipiras: ‘Não tenho uma notícia muito boa para dar a vocês. O elevador quebrou, mas tenho duas opções: ou vocês podem dormir aqui na recepção ou terão que ir pelas escadas mesmo’. Eles olharam um para o outro e disseram juntos: ‘pelas escadas’.

Um deles teve uma brilhante idéia: o primeiro iria contar piadas até o 17º andar; o segundo iria contar histórias de horror do 18º até o 34º andar e, por fim, o terceiro iria contar histórias tristes até o 50º. Tudo estava indo bem! Eles riram bastante até o 17º, sentiram medo até o 34º e também ficaram tristes, mas quando estavam no último andar, o terceiro caipira disse: ‘para terminar vou contar essa última que é pequenininha, mas é boa... ESQUECI A CHAVE LÁ EM BAIXO’”.

Fox, além de arrancar risos dos congressistas, enfatizou que “a chave tem nome e é Emanuel, Messias, Jesus e Senhor. A história mais triste hoje em São Paulo é ter esquecido a chave quando as pessoas vão para suas casas. As pessoas gostam da graça, mas não gostam da verdade. Em Cristo Jesus todas as promessas de Deus têm um sim. A última promessa de Jesus feita aos discípulos foi pedir que eles voltassem para Jerusalém e aguardassem a descida do Espírito Santo”. E completou: “Se a Igreja Metodista no Brasil é viva, ela precisa estar aberta para o poder e unção do Espírito Santo de Deus. Sem unção não há testemunho e conversão”.

O Dr. Fox também compartilhou sua experiência vivenciada em Cuba, pois a Igreja Metodista se multiplicou em apenas 10 anos. O governo cubano não queria que os metodistas construíssem templos. “Então a solução foi construir casas para os irmãos se reunirem. Eles tem 900 casas que são utilizadas para as reuniões e cultos”.

Certo pastor, também telefonou para Fox solicitando ajuda para comprar bicicletas para os pastores usarem em suas visitas pastorais. “Consegui 500 bicicletas e a maioria delas foi doada às crianças. Fui, então, convidado para ir à Cuba no Natal para dedicar as bicicletas. Primeiro demos um nome: evangebyke. Tive que procurar muito para encontrar um texto bíblico que falasse de bicicletas. Meu texto foi o de Ezequiel: ‘O Espírito está nas rodas’”, disse arrancando risos da plenária. Segundo Fox, essa história também foi contada na BBC de Londres. Ele conta que “o Espírito esta nas rodas, mas também nos pastores e pastoras, nos leigos e leigas e por isso eu oro para que o Espírito de Deus habite em você” finalizou.

Por José Magalhães

 


Posts relacionados

Geral, por Comunicação

Aniversariante do Dia 02/01

  Rev. Geovanilson Rodrigues da Silva

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães