Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 13/09/2013

Estudo: Discípulas e discípulos nos caminhos da missão

Todos os anos, no dia 8 de Março, desde 1975 é comemorado pelas Nações Unidas como o dia Internacional da Mulher. Em síntese é lícito citar, a todos, que o marco dessa data faz jus a luta e a perseverança de mulheres operárias têxteis de uma fábrica em Nova Iorque. Em 1857, entraram em greve reivindicando a redução de mais de 16 horas de trabalho por dia, para 10 horas.

Elas lutaram na busca pelos seus direitos de trabalhadoras, pois recebiam menos de um terço do salário dos homens. Por causa disso a fábrica foi incendiada, outros afirmam ser um acidênte, onde mais de 130 operárias morreram queimadas por uma causa justa e que para muitos seria impossível: lutar pela sua liberdade, independência e direitos iguais.

A luta continuou, em 1903 as profissionais liberais norte-americanas criaram a Women´s Trade Union League – uma associação de trabalhadoras que exigiam melhores condições de trabalho. Em 1908, mais de 14 mil mulheres marcharam nas ruas de Nova Iorque reivindicando os mesmos direitos de 1857, elas lutaram pelo direito de voto e por condições econômicas e qualidade de vida melhores.

Em 1910, numa Conferência Internacional de mulheres na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como “o Dia Internacional da Mulher”.

Desde criança compartilho diferentes experiências comemoradas nessa data. Mas, pretendo chamar a sua atenção mui respeitosamente para refletir comigo neste boletim sobre a importância da mulher na sociedade, na igreja, na família e no Reino de Deus desde a criação até os nossos dias. Antes, começo lhe perguntando: - Se a mulher é uma personagem da vida tão importante, porque ela necessita ser lembrada?

Afirmo que, muitos ainda não reconhecem a sual real importância. Veja, eu não tenho nada contra uma data tão especial para todos nós, porém sei que muitos só se lembram da importância delas e do significado que elas têm quando chegam neste tempo. Por exemplo, existem muitas mulheres que constituiram família, mas vivem solitárias, vazias de si mesmas, desvalorizadas, etc. Será que para estas mulheres esta data serviria como um plano de emergência ou de fuga para serem vistas, lembradas, respeitadas, valorizadas e ou reconhecidas?

Não pretendo ser pessimista, mas a realidade é que ainda hoje há muitas mulheres que se tornam artistas nesta data fingindo para si mesmas os poucos momentos de alegria que alguns lhes proporcionam, pois elas sabem muito bem que o amanhã será diferente e a realidade voltará à tona!

Para seu alívio ou consolo faço uso de uma frase de d. Hélder Câmara que diz assim: “Sonho que se sonha sozinha, continua sendo sonho, mas sonho compartilhado se torna realidade”. É importante destacar que as mulheres sempre ocuparam na história da fé cristã um lugar especial no projeto de Deus. Pelo Senhor elas nunca foram consideradas um pedaço de trapo, um objeto a mais na criação, ou um capacho para que todos pudessem pisar e mandar!

Não! Deus formou a mulher a partir do que Ele mesmo havia feito de melhor, e colocou nela a sua renovadora essência e revolucionou todos os conceitos de sua criação formando a Mulher. Por isso, é preciso refletir: “Existe um espaço especial para mulheres na Igreja? Na sociedade? Na família? Elas são tratadas com os mesmos modos, direitos e deveres?
Às mulheres saíram do anonimato e aprenderam com dignidade a reivindicar seus direitos e seu espaço na sociedade e no Reino de Deus.

Em tempos de crise a Mulher já provou a sua capacidade de transformar a realidade. Falar de mulher é trazer a vida novamente o amor, a graça, a beleza, é reacender a paixão, descobrir as lágrimas, os valores da perseverança, o significado do acolhimento, na confidência, no companheirismo, na força e na coragem de vencer... A mulher possui caracterísitcas lineares e outras diferenciadas do homem. Mas, isso não a faz superior e tampouco inferior a ele. Mas uma mulher em meio à adversidade supera suas condições de lutas e anseios, e consegue fazer disso libertação e crescimento, ela faz do improvável ser provável. Deus colocou a Mulher sob o pedestal da “grandeza de seu Amor”. Sob medida a mulher tem sobre si um potêncial imensurável no que se refere a reagir.

Infelizmente, no meio de muitas famílias ainda há mulheres que sofrem perniciosos preconceitos a ponto de passarem pela vergonha absurda de serem avaliadas, julgadas, discriminadas. Outras lhes são arracados os seus sonhos e se sentem oprimidas enquanto são retraídos os seus direitos e destruídos os seus valores.

Na história humana eu digo: “A mulher é uma agente de milagres!” Jesus teve discípulas em seu ministério, por isso, Ele tinha uma preocupação especial e diferenciada com elas, como por exemplo: na estética (beleza), espiritualidade, auto-estima, gênero, família, trabalho, no tempo, na política, na igreja, o Mestre contribuiu para o crescimento pessoal delas e em todos os sentidos. Deus tem chamado e capacitado mulheres para usar os seus dons na Obra do Senhor. Uma mulher virtuosa gera qualidade para a Missão. É incrível, mas as mulheres possuem uma maior pré-disposição para transmitir a outras pessoas o que aprendem. A mulher com o seu potêncial tem habildade para fazer outras se sentirem melhores. (Ex. A Tola destrói).

Uma mulher determinada não pode ser vista isoladamente e independentemente a Igreja Local. Ela precisa ser inserida nos planos missionários, pois assim Deus as quer.

Vejamos na Bíblia alguns exemplos de mulheres fantásticas:

- AS PARTEIRAS DO EGITO (Êxodo 1.15-22). Certamente naquele tempo não havia duas parteiras para um país inteiro. Mas, o texto bíblico enfatiza, dentre muitas, elas saem do anonimato, são elas Sifrá e Puá, que significam: “beleza e esplendor”. Faraó, preocupado com a força dos hebreus mandam matar os meninos e, essas mulheres frágeis não se curvam frente a ameaça e com astúcia, coragem e inteligência, não usam armas, mas elaboram com esplendor uma estratégia para manter a vida. Com isso, assumem o risco de perder as suas próprias. Eu aprendo algumas lições com elas: a) Perseverar e garantir a vida; b) Coragem para se comprometer; c) Unir forças não para destruir ou separar, mas, para mudar e “reformar” – a vida se constrói nos valores da UNIDADE.

- AGAR SEGUINDO A DEUS NA ADVERSIDADE (Gn.16-14 e 21.1-21). Agar não era uma esposa, e sim uma concubina, uma escrava da casa, que além dos deveres da casa, além dos deveres domiciliares, poderia ser dada ao seu senhor para gerar filhos. Neste tempo a poligamia era aceita em diversas culturas. No contexto familiar de Abraão, Sara sua esposa curtia o ressentimento por sua própria condição de infertilidade. Mas, o relato aqui, que pretendo fazer é que Agar teve a Ismael e isso lhe garantia a descendência. Mas, Sara lhe faz conhecer a sua condição de escrava e a expulsou por duas vezes e por isso foi humilhada, obrigada a fugir, sofrer as mais severas penalidades no deserto com seu filho. Mas destaco que em sua fuga um anjo a encontra (Gn 16.7); ele a chama pelo seu nome; dá abrigo junto a uma fonte; lhe faz promessas para o futuro; revela que Deus entendia a sua aflição e o anjo profetiza no v.13: Agar: Deus é aquele que tudo vê! Estou certo de que muitas mulheres vivem como Agar, mal rotuladas em nossos dias, fugindo, afetas pela violência e pelo preconceito, fragilizadas e humilhadas. Mas uma lição profética foi que Agar precisou do tempo para crescer com Deus e preparar o seu futuro. O Deus que vê tudo também te diz: Aos olhos do Pai você não está só!

- MULHERES NO NOVO TESTAMENTO. Nas narrativas do NT as mulheres são mencionadas como Tamar, Raab, Rute, Maria, Isabel..., ou seja, o que demonstra o resgate do papel da mulher nos caminhos da fé. Maria, que significa “amada” é a primeira mulher a ter a sua história narrada no Novo Testamento. Isabel, por sua vez, carrega no seu nome uma exaltação ao Senhor, que significa “Deus é plenitude” (Lc 2.39-45). Nas parábolas de Jesus observamos mulheres comparadas com Deus (Lc 13.20-21, Lc 15.8-10). Há também mulheres anônimas como: a viúva pobre (Mt 22.35-40), a mulher do fluxo de sangue (Mc 5.25-34), a mulher que perdeu suas drácmas (Lc 15.8-10), a mulher siro-fenícia (Mc 7.24-30).

- MULHERES NO CRISTIANISMO PRIMITIVO. Encontramos na Bíblia mulheres anunciando em favor do Evangelho de Jesus, como: Safira, Rode, Damaris, Priscila, Febe, Júnia, Trifena, Trifosa, Pérside, Loide, Eunice, Afia, entre muitas outras. Interessante que ao ler a história, percebemos que cada uma delas tinha o firme propósito de servir ao Senhor e à Igreja. Mas, o mais impressionante dos fatos da história está escrito em João 4, a conversa de Jesus com uma mulher samaritana. Havia uma oração rabínica naquela época que dizia: “Eu te louvo porque não me fizeste mulher”. Isso retrata o papel da mulher na sociedade daquela época. Entretanto, Jesus supera todos os paradigmas e subverte uma questão teológica importante para judeus e samaritanos, Jerusalém e Samaria, o importante de tudo é ter a vida eterna.

- DISCÍPULAS DE JESUS. A palavra discípulos no NT significa “aprendiz” e aparece 264 vezes. Vamos nos lembrar de algumas delas: Lc 8.1-3, Maria Madalena (que fora liberta de sete demônios), Joana (mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes), Suzana, em Atos 9.36 lemos sobre Tabita, que quer dizer Dorcas (mulher de boas obras – costurava para as viúvas), Febe, conforme Rm 16.1 partilhava a sua vida para o crescimento do ministério, Lídia, uma mulher rica, negociante e líder da comunidade cristã (At 10.24-44; 16.15-40; Fl 4.10-16), foi ela quem levou o testemunho à primeira congregação para a Europa. Em Filipos há Evódia e Síntique (Fp 4.2) testemunhavam a salvação em Jesus. Poderia aqui acrescentar muitos nomes, mas gostaria de destacar também Débora, citada no Antigo Testamento, que desempenhou um importante papel político no meio do seu povo, pois atuou como profetiza e foi uma mediadora corajosa frente às batalhas e entre Deus e sua Nação.

- A MULHER E A ORAÇÃO. Lídia foi alcançada pela vida de oração de Paulo e Silas e uma igreja começou em sua casa porque um grupo de mulheres foi constrangido por Deus a orar (Atos 16.13). A oração abre as portas do entendimento para que compartilhemos a Palavra e as oportunidades surgem para que o Poder de Deus se manifeste em nós. Leiam com atenção a oração de Ester. A oração de Ana da à luz um caminho para o Altar (1 Sm 2.1-10). Veja que, Ana, a profetiza (Lc 2.36-38), descendente de Aser, a Palavra afirma que ela adorava ao Senhor noite e dia em jejuns e orações... Uma lição para tua vida é que a “oração sustenta a esperança”.

- A MULHER E A IGREJA METODISTA HOJE. Destacamos a ordenação de mulheres na IM, houve uma proposta nesse sentido no Concílio Geral realizado em 1930, mas não foi aprovada. Todavia, foi organizada a ordem das diaconisas e somente no Concílio Geral de 1971 foi aprovado o ingresso de mulheres ao presbiterado, sendo a primeira presbítera a revda. Zeni de Lima Soares. No Concílio Geral de 1997, pela primeira vez na história tivemos três candidatas ao episcopado.

No XVI Concílio Geral, realizado em julho de 2001 é eleita à primeira episcopisa, a revda. Marisa de Freitas Ferreira Coutinho. Hoje, somos 177.357 membros da Igreja Metodista no Brasil; porém, 113.187 são mulheres. Quanto ao número de clérigos e clérigas encontramos 1451 homens e 279 mulheres exercendo o ministério pastoral.

Rev. Osni Ferreira Benedito
IGREJA METODISTA EM VÁRZEA GRANDE-MT


Posts relacionados

Expositor Cristão, Destaques Nacionais, Mídia, Geral, por José Geraldo Magalhães

Expositor Cristão terá 30 mil exemplares em junho

Jornal também vai ganhar novo visual e melhor distribuição pelo Brasil

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães