Publicado por José Geraldo Magalhães em Geral - 20/09/2013

metodistas querem ética na sociedade

Mas várias pessoas entendem que campanhas de evangelização não deveriam tratar de temas como ética, educação ou meio ambiente.

Entre os dias 10 e 30 de julho, a enquete do portal metodista pedia que os(as) leitores(as) escolhessem entre três possíveis temas para a próxima Campanha de Evangelização: "a responsabilidade com o meio ambiente", "juventude e educação" e "ética na sociedade".

Cerca de 60% dos votos foram para a questão da ética: 850 dentro de um total de 1426 participações. Cerca de 30% dos(as) leitores(as) optaram pelo tema "juventude e educação" (435 votos) e 10% para "meio ambiente" (141 votos).

O resultado da enquete não chega a surpreender, neste momento em que notícias de corrupção dominam o espaço da imprensa, geram crise política e abalam a confiança nas instituições. Contudo, uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) em março deste ano revela que a corrupção não está restrita ao espaço político. O estudo "Corrupção na política: eleitor vítima ou cúmplice?" demonstra que o brasileiro é conivente com a corrupção. Veja o que revela a pesquisa:


O instituto questionou os entrevistados em relação ao seu comportamento caso fizessem parte do Legislativo ou do Executivo. Setenta e cinco por cento afirmaram que cometeriam algum deslize ético se estivessem no poder. Entre eles, contratar pessoas e empresas de familiares sem concurso ou licitação; pagar despesas pessoais com dinheiro público; aproveitar viagens oficiais para lazer próprio e de familiares; trocar o voto por um cargo para si, um parente ou um amigo e até fazer caixa 2 para garantir vitória na eleição.

A pesquisa também quis saber se os eleitores já transgrediram alguma lei ou descumpriram alguma regra contratual para obter benefícios materiais, e 69% disseram que sim. O Ibope perguntou ainda aos entrevistados se eles cometeriam ao menos um de 13 hipotéticos - embora corriqueiros - atos de corrupção. Entre as infrações listadas figuravam: oferecer suborno para escapar de punição, sonegar impostos, falsificar documentos, fraudar seguros e comprar produtos roubados.

A maioria dos entrevistados, os tais 69%, declarou que cometeria ao menos um dos 13 atos se tivesse oportunidade e 98% disseram conhecer alguém que os faça. A compra de produtos piratas lidera a lista de crimes: 55% disseram que poderiam adquirir um. O segundo item mais apontado, com 14% de indicações, foi o ato de "dar caixinha ou gorjeta para se livrar de multa".
Fonte: Revista do Terceiro Setor. Veja reportagem na íntegra clicando aqui.

Legenda: "Qual a importância da ética na sociedade de hoje?"

Os sanguessugas evangélicos

As notícias de corrupção afetaram até o meio evangélico: em julho do ano passado, o deputado federal paulista João Batista Ramos da Silva, bispo da Igreja Universal do Reino de Deus, foi apanhado com sete malas cheias de dinheiro, somando mais de dez milhões de reais. Ele alegou que o dinheiro provinha de dízimos da Igreja, mas a existência de cédulas de R$50 com numeração em seqüência apresentou-se como um forte indício de que pelo menos parte do dinheiro saiu de um mesmo caixa bancário. Nem o PFL, partido ao qual Batista era filiado, acreditou na justificativa e o deputado foi expulso, suspeito da prática de "caixa dois" (dinheiro de origem desconhecida sobre o qual se sonega imposto de renda).

Recentemente, mais um escândalo financeiro envolveu políticos da chamada "bancada evangélica": 19 deputados evangélicos foram associados à "máfia dos sanguessugas". Sobre este assunto, o Rev. Ricardo Gondim, pastor da Assembléia de Deus Betesda, fez uma crítica contundente, na qual conclamava: "Por favor, não esperemos que um próximo escândalo nos acorde de nossa complacência. Há necessidade de uma reforma ética entre os evangélicos. E ela tem que ser urgente". Leia o texto na íntegra clicando aqui.

 

Falar de ética é evangelizar?

 "A ética é a base de todos os outros temas", opinou Francys Felisberto, na área de comentários da enquete. "A ética na sociedade é um tema de suma importância para ser trabalhado internamente e externamente pelo povo metodista no Brasil, mostrando e aprendendo o que é etica prática nas nossas relações no dia a dia", escreveu Roberto Rodrigues Pereira. Para Marcos Gomes Torres, a ética não é apenas tema de evangelização, mas um princípio norteador do próprio ato de evangelizar: "Quero externar minha convicção quanto à questão ética na relação com a evangelização, visto que ela é necessária quando vamos ao encontro das pessoas ou da sociedade para evangelizar. O princípio básico é o amor. Isto nos desafia a respeitar a cultura pessoal e da sociedade, uma ação inculturada".


 Vários leitores(as) destacaram as importâncias dos outros temas propostos. "Indiquei o tema juventude e educação porque acho muito difícil alcançarmos a ética sem a educação. A educação é o instrumento de conscientização e de formação ética", diz Lara Sanches. "Acredito que o trabalho de evangelização da Igreja Metodista deve sinalizar o compromisso de todo(a) cristão(ã) com a sua casa, ou seja, o planeta Terra. Nossa responsabilidade com a pregação da palavra de Deus deve ser conscientizadora e comprometida com uma melhor qualidade de vida para todos(as)", opinou Regina Magna de Araújo. "Vivo numa região onde o abuso com os recursos naturais têm sido uma constante, e somos acusados de ver isso de braços cruzados (nós, metodistas, e crentes em geral)", alertou Maxwell Miranda de Almeida. Muitos outros leitores, porém, externaram sua decepção com os três temas e, até mesmo, indignação por considerá-los inadequados para uma campanha de evangelização:

Nenhum dos temas serve. Temas de campanhas de evangelização dizem respeito à "salvação" e "vida eterna". Norberto Schütz Carneiro

Que medo nossa igreja tem de pregar o evangelho. Ou não sabe ela o que dizer ao pecador? Vamos mudar esses três temas para: Salvação? Perdão? Vida eterna? Reino de Deus? Anunciar o evangelho não é pregar filosofias! Terêncio Barbosa

Os temas propostos são políticos e não religiosos. Evangelizar significa anunciar a salvação, o Reino de Deus a nova vida no nome santo do Senhor Jesus. Por acaso quem propôs esses temas conhece a Bíblia? Já a leu? Se leu, compreendeu? Daniel Cordeiro

Vocês sabem que há um livro chamado Bíblia e que Jesus ensina a evangelizar? Ele não manda falar de ecologia e ética, mas diz: "Anunciai que o Reino está perto". Se houver conversão, as demais coisas acontecerão espontaneamente. Pensem nisso. Vamos ensinar a Palavra de Deus! Jeremias Corvelo


 O Rev. José Pontes Sobrinho, secretário-executivo da Coordenação Nacional de Expansão Missionária informa que a partir de setembro o Grupo de Trabalho da Campanha de Evangelização se reunirá para elaborar a campanha de 2007, levando em conta as necessidades das igrejas locais e as orientações do Colégio Episcopal. Mas, afinal o que é evangelização?

"Entendo por evangelização o conceito do Plano para a Vida e Missão da Igreja que define `a evangelização como parte da missão que é encarnar o amor divino nas formas mais diversas da realidade humana, para que Jesus Cristo seja confessado como Senhor, Salvador, Libertador e Reconciliador? (PVMI, pg 31). Por tal definição, pode-se ver que o objetivo é confrontar o ser humano, o pecador e as estruturas sociais com os valores do Reino de Deus e com a fé em Jesus Cristo, para que tanto as vidas como as estruturas sejam transformadas segundo Evangelho. Desta forma, o Evangelho tem uma dimensão não só de conversão individualista, mas de transformação e de santidade social e comunitária".


O que significa isso? Significa que os nossos leitores acima estão certos quando dizem que o objetivo da evangelização é a proclamação do Reino de Deus e a vida nova em Jesus Cristo. Mas significa, também, que temas como ética, meio ambiente, educação ou qualquer outro que diga respeito à vida humana podem, sim, ser usados para proclamar o Reino. Ou seja: a Igreja pode, a partir da realidade vivida pelo ser humano, demonstrar uma nova perspectiva de vida. Quando Jesus falava em parábolas, ele também proclamava o Reino a partir de situações e experiências do dia-a-dia do povo daquela época e lugar. Assim, ele combatia o pecado, a injustiça e a falsidade e apresentava ao pecador a possibilidade de perdão e uma nova vida.

"Segundo o Plano para a Vida e Missão da Igreja, a ?missão de Deus no mundo é estabelecer seu Reino. Participar da construção do Reino de Deus em nosso mundo, pelo Espírito Santo, constitui-se a tarefa evangelizante da Igreja´", lembra o Rev. Pontes. "Se alguém pergunta como isso acontece, respondo que a missão acontece quando a Igreja sai de si mesma, envolve-se com a comunidade e se torna instrumento da novidade do Reino de Deus".

E você? O que é evangelização para você? Participe desta discussão deixando seu comentário no Livro de Visitas ou mandando um e-mail para expositor@metodista.org.br 

Leia a opinião do seminarista Guilherme Emílio, da Umesp. Clique aqui.

Leia o comentário do leitor Luiz Felipe Lehman. Clique aqui.

 

 


Posts relacionados

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães

Geral, por José Geraldo Magalhães